Psicologia - Inpac - Instituto Nacional de Prevenção e Assistência ao Câncer
  psicoMárcia Magalhães Vicentin - Psicóloga -  CRP: 06111880
  A Psicologia aplicada à oncologia tem por objetivo, principalmente, motivar o paciente no enfrentamento do câncer, por meio da mobilização dos seus recursos psíquicos (internos) e da identificação de fatores psicológicos e sociais que possam influenciar no seu adoecimento. Busca-se, com isso, possibilitar a ressignificação do processo de adoecimento, na tentativa de aumentar as possibilidades de melhora ou cura. Este serviço é prestado pela Psico-oncologia, interface entre a Psicologia e a Oncologia que compreende o indivíduo em sua totalidade “Corpo e Mente”, ou seja, visando seu bem-estar biológico, psicológico e social.  Busca também atuar e abordar os aspectos psicológicos envolvidos no diagnóstico, prevenção, tratamento e reabilitação do paciente, bem como na melhora da sua qualidade de vida. O adoecimento produz, na pessoa acometida pelo câncer e nos demais envolvidos, reações emocionais e mudanças no comportamento que tornam necessário o trabalho multiprofissional, no qual a Psico-oncologia tem o papel de auxiliar, seja através de intervenções psicológicas, seja de acolhimento, aconselhamento, orientação, reabilitação, psicoterapia individual e grupal.
  • Alguns benefícios das intervenções psicológicas em pacientes oncológicos:
  • Redução dos distúrbios emocionais, como ansiedade e depressão
  • Reforço dos vínculos afetivos entre família e paciente, considerando a família como fonte principal de apoio ao paciente.
  • Ajustamento à doença (conscientização sobre o que é e como lidar com o câncer)
  • Melhor adesão ao tratamento (diminuição dos sintomas adversos associados ao câncer e aos tratamentos)
  • Auxílio na manutenção do bem estar psicológico do paciente, identificando e compreendendo os fatores emocionais que intervêm na sua saúde.
  Deve-se entender que [...] o ser é único, singular e que seu modo de existir assim como adoecer tem suas características próprias, de maneira original e individual. (SANTOS et al 2003).